retorna
  :: Artigo selecionado
  ADAPTAÇÕES MORFO-ANATÔMICAS DAS ESTRUTURAS VEGETATIVAS INFLUÊNCIADAS PELAS CONDIÇÕES ABIÓTICAS
22/03/2011

TIAGO SILVEIRA FERRERA
RS - CRUZ ALTA
O artigo trata da botânica estrutural e relação dessas estruturas nas partes vegetativas das plantas com o meio xerófito e hidrofito.

Área(s) de Atuação que o Presente Artigo trata
Biologia
Meio Ambiente e Biodiversidade
Inventário, Manejo e Produção de Espécies da Flora Nativa e Exótica


A estrutura vegetal é composta por seus órgãos vegetativos (raiz, caule e folha) e reprodutivos (flor, fruto e semente), cada uma dessas estruturas apresentam uma morfologia, ou seja, a forma do órgão, sendo que este é composto pelos tecidos (anatomia). As adaptações da morfologia e anatomia das estruturas vegetativas estão associadas às condições ambientais, principalmente, na questão da disponibilidade hídrica. As modificações nos tecidos associam-se a ambientes xeromorfos (secos) ou hidromorfos (úmidos ou alagados), ou ainda em ambientes que alteram-se na capacidade hídrica. Este trabalho teve como objetivo elaborar uma revisão literal de pesquisas que estão sendo realizados com as estruturas morfo-anatômicas do caule, da raiz e da folha e as adaptações destes órgãos e seus tecidos influenciados pelos fatores abióticos (ambientais), principalmente quanto à questão das condições hídricas. O desenvolvimento foi em realizado em torno de dois tópicos: (1) Anatomia das estruturas vegetativas (raiz, caule e folha) e (2) Estudos morfo-anatômicos nos órgãos vegetativos associados com as influencias abióticas, sendo que optou-se por observar os trabalhos com espécies nativas do Brasil. Os trabalhos nesta área do conhecimento demonstram grande flexibilidade dos tecidos vegetais e em consequência da forma dos órgãos, sempre na tentativa de mitigar os danos (seca ou alagamento), através de sistemas histológicos de reserva, bloqueio, adaptações celulares e somando-se a isso mudanças fisiológicas. Além disso, muitas pesquisas são realizadas em condições de controle (laboratório e casa de vegetação) e contrastadas com as condições naturais (campo). As grandes adaptações estão nas plantas que apresentam xeromorfismo isto é, das espécies que sobrevivem em regiões secas e aumentam sua eficiência na obtenção, reserva e economia de água, bem como a atividade de transpiração através do incremento de estruturas, células e produção de metabólitos secundários. Com isso, destaca-se, a importância da botânica estrutural como ciência que ajuda no conhecimento dos vegetais para sua  conservação e preservação.


TIAGO SILVEIRA FERRERA
RS - CRUZ ALTA

Indique este Artigo enviando o Link:
http://www.crbiodigital.com.br/portal?txt=3977313037


Imagens / Fotos do Artigo 
  Foto de microscopia da anatomi ...

 retorna

 

  :: Pesquisa Artigos
contenha a palavra 
Regional 
Nome do(a) Biólogo(a) 


pesquisar



Copyright 2007  -   contatocrbiodigital@crbiodigital.com.br  -   privacidade