retorna
  :: Artigo selecionado
  Variedades Locais de Melancia Forrageira do Semiárido Brasileiro
04/11/2014
Avaliação de variedades locais de melancia forrageira, com a finalidade de identificar materiais promissores para o melhoramento participativo em condições semiáridas.

Área(s) de Atuação que o Presente Artigo trata
Biologia
Biotecnologia e Produção
Melhoramento Genético


Tiago Lima do Nascimento[1], Maria Aldete Justiniano da Fonseca Ferreira2, Lucas Sampaio Araújo1,  Deisy Aiane Lima de Aquino1, Caroene de Lima Araújo1, Irlane Cristine de Souza Andrade Lira3, Leila Regina Gomes Passos3, Eliza Maiara Nogueira de Sena4, Roberta Machado3.

 

[1]  Graduando em Ciências Biológicas ¨C UPE, Petrolina, Brasil. Estagiário da Embrapa Semiárido

2    Pesquisadora da Embrapa Semiárido, Petrolina, Brasil. E-mail: aldete.fonseca@embrapa.br

3    Pós-graduandas do Curso em Recursos Genéticos¨CUEFS, Feira de Santana, Brasil

4     Bióloga, Petrolina, Brasil 

 

 


Resumo

 A melancia forrageira é uma cucurbitácea introduzida no Nordeste do Brasil pelos africanos que apresenta boa adaptação e grande variabilidade genética representada pelas variedades locais conservadas e usadas pelos agricultores familiares na alimentação animal. Este trabalho, teve como objetivo realizar a avaliação de variedades locais de melancia forrageira, com a finalidade de identificar materiais promissores para o melhoramento participativo em condições semiáridas. Foram avaliadas três variedades locais (LPG, VM, e Jojoba) e três acessos do Banco Ativo de Germoplasma de Cucurbitáceas da Embrapa Semiárido (MR-03, BGCIA 228, BGCIA 239). Foram avaliadas as características: número de frutos por planta, comprimento e diâmetro do fruto, espessura da casca e da polpa, cor da polpa, teor de sólidos solúveis, massa total do fruto, massa total da polpa e massa total da casca. A variedade local LPG se destacou para a maioria das características avaliadas, ou seja, comprimento do fruto, diâmetro do fruto, espessura da casca, espessura da polpa, massa total do fruto, massa total da polpa e massa total da casca. A variedade local VM se destacou para número de frutos por planta e diâmetro do fruto, enquanto que MR-03 se destacou apenas para esta última característica. O acesso de germoplasma BGCIA 228 foi superior aos demais para número de frutos por planta, mas também teve um destaque para comprimento e diâmetro do fruto. As variedades locais e os acessos de germoplasma avaliados apresentam grande potencial para seleção intrapopulacional e para o melhoramento interpopulacional para as características avaliadas.

 

 

 

Indique este Artigo enviando o Link:
http://www.crbiodigital.com.br/portal?txt=3777343032


 retorna

 

  :: Pesquisa Artigos
contenha a palavra 
Regional 
Nome do(a) Biólogo(a) 


pesquisar



Copyright 2007  -   contatocrbiodigital@crbiodigital.com.br  -   privacidade