retorna
  :: Artigo selecionado
  ANÁLISE DA QUALIDADE DA ÁGUA DE POÇOS E NASCENTES EM PROPRIEDADES RURAIS DE COLORADO DO OESTE-RO
09/01/2018
A água é um importante veículo de disseminação de doenças. Muitas famílias a consomem in natura, sem tratamento, tornando-se necessário o conhecimento a respeito da qualidade da água consumida por oito propriedades localizadas próximo ao Campus

Área(s) de Atuação que o Presente Artigo trata
Biologia
Saúde
Saneamento


ANÁLISE DA QUALIDADE DA ÁGUA DE POÇOS E NASCENTES EM PROPRIEDADES RURAIS DE COLORADO DO OESTE-RO

 

Erínea Raquel Pereira Almeida1, Roger Asevedo dos Santos2, Camila Isabel de Menezes Fraga3, Belami Cassia da Silva4

 

1 Acadêmica de Licenciatura em Ciências Biológicas – IFRO Câmpus Colorado do Oeste. e-mail: erinea.raquel@outlook.com

2 Prof.ºMestre em Biologia Experimental. Orientador. – IFRO Campus Colorado do Oeste.

3 Prof.ª Mestre em Física Ambiental. Co-orientadora– IFRO Campus Colorado do Oeste.

4 Prof.ª Doutora em Alimentos. Co-orientadora – IFRO Campus Colorado do Oeste.

 

Área do conhecimento do CNPQ: Área de conhecimento 2.12.02.01-0 – microbiologia médica.

 

Agência de fomento: CNPq.

 

RESUMO

 

As águas subterrâneas oriundas de poços rasos ainda constituem-se importantes fontes de suprimento de água para consumo humano e animal. Tradicionalmente, esse tipo de fonte de abastecimento é considerado seguro “in natura”, pois dependendo da capacidade filtrante do solo as águas subterrâneas podem apresentar-se livres de contaminação. Por outro lado, lençóis aquáticos de pouca profundidade são influenciados pela água que escorre da superfície e, portanto, sujeitos à contaminação. Em propriedades rurais a situação pode ser agravada pela manutenção de criadouros de animais próximos aos poços e nascentes utilizadas como fonte de água para o consumo humano. Considerando a grande quantidade de doenças que podem ser disseminadas pela água contaminada por fezes de animais, bem como por outros compostos orgânicos e inorgânicos, o presente projeto teve por objetivo realizar a avaliação da qualidade da água de poços e nascentes em propriedades rurais de Colorado do Oeste-RO através do diagnóstico microbiológico.

 

PALAVRAS-CHAVE: Água; Coliformes; Análise microbiológica.

 

ABSTRACT

 

Groundwater derived from shallow wells still constitute important sources of water supply for human and animal consumption. Traditionally, this type of source of supply is considered safe "in nature", because depending on the filtering capacity of soil to groundwater can present themselves free from contamination. Moreover, shallow water tables are influenced by the water flowing to the surface and thus subject to contamination. On farms the situation can be aggravated by maintenance breeding of animals close to wells and springs used as a source of water for human consumption. Considering the large number of diseases that can be spread by water contaminated by animal feces, as well as other organic and inorganic compounds, the present project was aimed at assessing the water quality of wells and springs in rural properties in Colorado west-RO by microbiological diagnosis.

 

 

KEYWORDS: Water, Coliform, microbiological analysis.

 

1. INTRODUÇÃO

 

            A água é o recurso natural mais importante do mundo e constitui, atualmente, uma das principais preocupações mundiais no que diz respeito à sua manutenção em quantidade e qualidade adequadas.

            As águas subterrâneas podem ser captadas nos aquíferos confinados ou artesianos, que se encontram entre duas camadas relativamente impermeáveis, o que dificulta a sua contaminação, ou serem captadas no aquífero não confinado ou livre, que fica próximo à superfície, e está, portanto, mais suscetível à contaminação. Em função do baixo custo e facilidade de perfuração, a captação de água do aquífero livre, embora mais vulnerável à contaminação, é mais frequentemente utilizada no Brasil (CAMARGO & PAULOSSO, 2009).

            Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS (2000), em torno de 20% da população dos países em desenvolvimento dispõem de fossas sépticas ou outro tratamento como medida de proteção da salubridade do seu domicílio. Essas técnicas, porém, permitem a liberação de patógenos que se infiltram e podem alcançar as águas subterrâneas, e colocam em perigo a saúde dos vizinhos e do próprio proprietário do poço, que consome água desse manancial. Verifica-se, a esse respeito, que a contaminação do aquífero livre pode levar a contaminação de inúmeros reservatórios.

            As águas subterrâneas oriundas de poços rasos ainda constituem-se importantes fontes de suprimento de água para consumo humano e animal. Tradicionalmente, esse tipo de fonte de abastecimento é considerado seguro “in natura”, pois dependendo da capacidade filtrante do solo as águas subterrâneas podem apresentar-se livres de contaminação. Por outro lado, lençóis aquáticos de pouca profundidade são influenciados pela água que percola da superfície e, portanto, sujeitos à contaminação (AMARAL et al., 2006). Entretanto, nos locais onde essa filtração está comprometida, a qualidade da água pode estar prejudicada, colocando a saúde da população que a utiliza em risco.

            A água de consumo humano é um dos importantes veículos de enfermidades diarréicas de natureza infecciosa, o que torna primordial a avaliação de sua qualidade microbiológica. As doenças de veiculação hídrica são causadas principalmente por microrganismos patogênicos de origem entérica, animal ou humana, transmitidos basicamente pela rota fecal-oral, ou seja, são excretados nas fezes de indivíduos infectados e ingeridos na forma de água ou alimento contaminado por água poluída com fezes. O risco de ocorrência de surtos de doenças de veiculação hídrica no meio rural é alto, principalmente em função da possibilidade de contaminação bacteriana de águas que muitas vezes são captadas em poços velhos, inadequadamente vedados e próximos de fontes de contaminação, como fossas e áreas de pastagem ocupadas por animais (AMARAL, et. al. 2003).

No meio rural, as principais fontes de abastecimento de água são os poços rasos e nascentes, fontes bastante susceptíveis à contaminação. Conboy & Goss (2000) citam que a deposição diária de resíduo orgânico animal no solo, prática muito disseminada no meio rural, aumenta o risco da contaminação das águas subterrâneas. O dejeto bovino depositado no solo representa risco de contaminação das fontes de água, uma vez que esses animais são reservatórios de diversos microrganismos como Criptosporidium parvum e Giardia sp., causadores de enfermidades humanas. Isso mostra o papel desses animais na contaminação ambiental por esses importantes patógenos de veiculação hídrica (AMARAL, et. al., 2003).

A água de escoamento superficial, durante o período de chuva, é o fator que mais contribui para a mudança da qualidade microbiológica da água (AMARAL et. al., 2003).

Sendo a água um importante veículo de disseminação de doenças e levando em consideração que muitas famílias ao consumirem-na de poços imaginam que a mesma é adequada ao consumo “in natura”, torna-se necessário o conhecimento a respeito da contaminação da água consumida pelos moradores de propriedades rurais, já que muitas vezes os poços nessas propriedades estão próximos à criadouros de animais e outras prováveis fontes de contaminação. Os resultados dessa pesquisa alertará a população a respeito dos riscos que a ingestão de água de poço “in natura” pode trazer à saúde humana.

 

2. METODOLOGIA

 

O local de estudo compreendeu oito propriedades rurais do município de Colorado do Oeste - RO próximas ao Campus do Instituto Federal de Rondônia, nas quais foi analisada a água proveniente de poços e/ou nascentes utilizada para o consumo humano.

            Antes da realização das coletas, foram explicados aos moradores das propriedades rurais os objetivos e a relevância da pesquisa e os mesmos assinaram um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido permitindo a realização das coletas em suas propriedades. Também foi preenchido um formulário contendo questões referentes ao consumo da água na propriedade e possíveis formas de tratamento utilizadas, além de dados referentes à ocorrência de doenças de veiculação hídrica, bem como os aspectos físicos dos locais próximos aos poços e nascentes.

Em cada poço e/ou nascente foram coletadas amostras destinadas a ensaios microbiológicos. As amostragens foram coletadas somente no período chuvoso, nos dias 14/02/2012 (em duas propriedades rurais denominadas como poço 001 e poço 002) e 12/03/2012 (em seis propriedades rurais denominadas como nascente 001, nascente 002, nascente 003, poço 003, poço 004 e poço 005). As amostras foram coletadas e armazenadas em frascos estéreis e foram transportadas até o laboratório do IFRO (Instituto Federal de Rondônia) - Campus Colorado do Oeste, em caixa de material isotérmico contendo gelo.

Após as coletas, as amostras foram levadas para o laboratório de microbiologia do Campus, onde foram realizados os procedimentos para a análise dos parâmetros microbiológicos (Coliformes Totais, Coliformes Termotolerantes e Contagem de Bactérias Heterotróficas).

 As primeiras análises realizadas foram para detectar a presença de Coliformes Totais e Bactérias Heterotróficas, onde os meios de cultura foram incubados na “Estufa” na temperatura de 37,5ºC no período de 48h00. Após a analise desses primeiros resultados constatou-se que todas as amostras encontravam-se contaminadas.

Devido às amostras de Coliformes Totais derem todas positivas foi realizado o procedimento para a análise da presença de Coliformes Termotolerantes, onde os meios de cultura foram incubados na “Estufa” na temperatura de 45ºC no período de 48h00. A análise desses resultados também constatou que todas as amostras encontravam-se contaminadas.

Ao termino de cada análise foi realizada a esterilização dos materiais contaminados com Coliformes Totais, Coliformes Termotolerantes e Bactérias Heterotróficas na “Autoclave Vertical”. Após esfriar, os materiais foram lavados e colocados na “Med Clave” para secar.

 

3. RESULTADOS E DISCUSSÃO

 

3.1   Poços

 

Foram analisadas amostras de cinco poços diferentes, distantes uns dos outros. Todos os poços se encontraram altamente contaminados por Coliformes Totais, Coliformes Termotolerantes e Bactérias Heterotróficas.

 

3.1.1          Coliformes Totais

 

Poço 001: positivo.

Poço 002: positivo.

Poço 003: positivo.

Poço 004: positivo.

Poço 005: positivo.

 

3.1.2          Coliformes Termotolerantes

 

Poço 001: positivo.

Poço 002: positivo.

Poço 003: positivo.

Poço 004: positivo.

Poço 005: positivo.

 

3.1.3          Bactérias Heterotróficas

 

Poço 001: positivo (7,85 x 10-3 UFC).

Poço 002: positivo (incontável – os resultados ultrapassaram o limite máximo de 300 colônias).

Poço 003: positivo (10,1 x 10-2 UFC).

Poço 004: positivo (1,6 x 10-2 UFC).

Poço 005: positivo (incontável – os resultados ultrapassaram o limite máximo de 300 colônias).

 

3.2   Nascentes

 

Foram analisadas amostras de três nascentes diferentes, distantes umas das outras. Todos os poços se encontraram altamente contaminados por Coliformes Totais, Coliformes Termotolerantes e Bactérias Heterotróficas.

 

3.2.1          Coliformes Totais

 

Nascente 001: positivo.

Nascente 002: positivo.

Nascente 003: positivo.

 

3.2.2          Coliformes Termotolerantes

 

Nascente 001: positivo.

Nascente 002: positivo.

Nascente 003: positivo.

 

3.2.3          Bactérias Heterotróficas

 

Nascente 001: positivo (7,0 x 10-3 UFC).

Nascente 002: positivo (incontável – os resultados ultrapassaram o limite máximo de 300 colônias).

Nascente 003: positivo (incontável – os resultados ultrapassaram o limite máximo de 300 colônias).

 

Diante dos resultados das amostras coletas aqui exposto, fica evidente que a água consumida pelos proprietários se encontra altamente contaminada, sendo em algumas vezes considerado como incontável.

No período chuvoso a água de escoamento superficial torna-se o principal fator de contribuição para a mudança da qualidade microbiológica da água. Em algumas propriedades rurais essa contaminação se agrava pela manutenção de criadouros de animais próximos aos poços e nascentes utilizadas como fonte de água para o consumo desses proprietários, pois, quando chove a água que se mistura com dejetos presentes nestes locais acaba escorrendo para dentro desses poços, contaminando-os. Em outras propriedades a contaminação se justifica pela presença de um matadouro de animais próximo da localidade de alguns poços e nascente, pois, a água utilizada para a limpeza desse local se mistura com sangue e restos desses animais escorrendo para o córrego que passa nas proximidades.

Esses resultados representam um risco para a saúde da população local que utilizam essa água contaminada para seu consumo, já que estão sujeitas a contaminação por doenças de veiculação hídrica, pois, essa água torna-se um importante veículo de enfermidades diarreicas de natureza infecciosa, causadas principalmente por microrganismos patogênicos de origem entérica, animal ou humana, transmitidos basicamente pela rota fecal-oral.

 

4. CONCLUSÕES

 

No decorrer do período de vigência da pesquisa (01/10/2011 a 31/08/2012) ocorreram muitos problemas operacionais que impediram a execução contínua e completa das coletas, listas a seguir:

·         Atraso no inicio das atividades do projeto, devido à greve que ocorreu no segundo semestre do ano letivo de 2011, com paralização total de alguns servidores do Campus do Instituto Federal de Rondônia, inclusive o orientador da pesquisa.

·         Não ocorreu a compra das vidrarias necessárias para os ensaios microbiológicos, sendo que as vidrarias pertencentes ao Campus Colorado do Oeste não são suficientes para a utilização nas coletas e sendo as mesmas de uso dos professores, ou seja, durante o período letivo, esse material fica impossibilitado de ser utilizado para a pesquisa;

·          Afastamento do orientador no mês de novembro e da bolsista do mês de junho a agosto por motivo de doença;

·         Dificuldades no uso do laboratório de microbiologia do Campus no período das férias, pois o horário de funcionamento do mesmo fica menor e restrito, sendo permitido seu uso, somente na presença do orientador responsável.

·         A determinação de parâmetros físico-químicos das amostras coletas não foram realizados devido a Professora M.Sc. Camila Isabel de Menezes Fraga – responsável pela co-orientação relacionada à determinação de parâmetros físico-químicos – se encontrar em afastamento de suas atividades por motivo de doença.

 Foi devido a todos esses problemas operacionais que ocasionaram certa implicação sobre a periodicidade e o número de amostras coletadas, atrapalhando assim a execução do projeto que chegou ao término de seu período de vigência possuindo apenas os resultados da primeira coleta de oito das quinze propriedades rurais programadas no projeto, sendo cinco amostras coletadas em poços e três amostras coletas em nascentes.

 

6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

ÁGUAS, saúde e desinfecção. Artigo disponível em: <www.consultoriaambiental.com.br>. Acesso em: 03 out. 2011 às 20h40min.

  

AMARAL, Luiz Augusto do; FILHO Antonio Nader, JUNIOR; Oswaldo Durival Rossi; FERREIRA, Fernanda Lúcia Alves e BARROS, Ludmilla Santana Soares. Água de consumo humano como fator de risco à saúde em propriedades rurais. Rev Saúde Pública. São Paulo, 2003;37(4):510-4.

  

AMARAL, L. A; NUNES, A. P, CATANIA, J, LORENZON, C. S, BARROS, L.S.S, FILHO, A. N. Uso da radiação solar na desinfecção da água de poços rasos. Arq. Inst. Biol., São Paulo, v.73, n.1, p.45-50, jan./mar., 2006

  

CAMARGO, Mairo Fabio e PAULOSSO, Luciangela Vieira. Avaliação qualitativa da contaminação microbiológica das águas de poços no município de Carlinda – MT. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde. Londrina, v.30, n.1, p. 77-82, jan./jun. 2009.

  

CONBOY, M. J, GOSS, M. J. Natural protection of groundwater against bacteria of fecal origin. J Contam Hydrol, 43:1-24, 2000.

  

FREITAS, Marcelo Bessa de; BRILHANTE, Ogenis Magno e ALEMIDA, Liz Maria de. Importância da análise de água para a saúde pública em duas regiões do Estado do Rio de Janeiro: enfoque para coliformes fecais, nitrato e alumínio. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 1(3):651-660. Maio-jun, 2001.

  

JUNIOR, Pedro R. S; MELO, Adriana M. M. F; CARVALHO, Emerson. Qualidade microbiológica da água de poços residuais do bairro centro educacional da cidade de Fátima do Sul – MS. Interbio. Mato Grosso do Sul, v.2, n.2, 2008 – ISSN 1981-3775.

  

LENORE S. CLESCERI, ARNOLD E. GREENBERG. Standard methods for the examination of water and wastewater. Pharnabooks, 21 edition, 2005.

  

MACÊDO, Jorge Antônio Barros de. Águas & águas. São Paulo: Livraria Varela, 2011.

  

MATTIODA, Fernanda. et al. Avaliação inicial da água nas propriedades leiteiras de Teixeira Soares – PR. CCNExt, Santa Maria, v.1, n.1, jan-jun. 2010.

  

NEDER, Rahme Nelly. Microbiologia: manual de laboratório. São Paulo: Nobel, 1992.

  

ORGANIZACION MUNDIAL DE LA SALUD – OMS. Aspecto de la lucha contra la contaminacion del água. Ginebra: OMS, 2000. (Cuadernos de Salud Pública, 13).

  

RIBEIRO, Mariangela Cagnoni e SOARES, Marta Magali S. R. Microbiologia prática: roteiro e manual: bactérias e fungos. São Paulo: Editora Atheneu, 2005.

  

RIGOBELO, Everlon Cid; MINGATTO, Fábio Hermínio; TAKAHASHI, Leonardo Susumu e ÁVILA, Fernando Antonio de. Padrão físico-químico e microbiológico da água de propriedades rurais de Dracena. Rev Acad., Ciênc. Agrár. Ambient., Curitiba, v.7, n.2, p.219-224, abr./jun. 2009.

  

 

STEEL, R. G. D, TORRIE, J. H. Principles and procedures of statistics. New York: Mc Graw; 1960.


Indique este Artigo enviando o Link:
http://www.crbiodigital.com.br/portal?txt=3677353337


 retorna

 

  :: Pesquisa Artigos
contenha a palavra 
Regional 
Nome do(a) Biólogo(a) 


pesquisar



Copyright 2007  -   contatocrbiodigital@crbiodigital.com.br  -   privacidade