retorna
  :: Artigo selecionado
  Controlando o mosquito Aedes aegypti transmissor da dengue, zika e chikungunya.
05/12/2015
atualizado em: 06/12/2015

ADAUTO FRANCISCO DE FIGUEIREDO
PI - PATOS DO PIAUI
O mosquito Aedes aegypti ultimamente tem se tornamo motivo e preocupação para a saúde pública no Brasil, pois passou a ser vetor além da dengue, zika e chikungunya.

Área(s) de Atuação que o Presente Artigo trata
Biologia
Meio Ambiente e Biodiversidade
Controle de Vetores e Pragas
Educação Ambiental
Saúde
Saúde Pública/Vigilância Epidemiológica


   Todos os anos, quando se aproxima o verão os órgãos de saúde ficam preocupadas, pois sabem que os casos de dengue podem lotar os hospitais e postos de saúde. Porém, até o ano de 2013 o mosquito Aedes aegypti trasmitia apenas a dengue, com a copa do mundo duas outras doenças passaram também a serem transmitidas pelo mosquito. Sendo elas: a febre da chikungunya e o zica vírus, doenças estas originárias do continente africano.

   No Brasil  mais recentemente, no início de novembro de 2015 o ministério da saúde observou que houve um aumento vertiginoso de casos de microcefalia em recém nascidos, e que esses casos poderiam estar relacionados ao zica vírus. O alarde foi grande, muitas mulheres que já estavam grávidas ficaram com medo de seus futuros filhos(as) poderem ser afetados.

   Mas o mosquito da Aedes aegypti pela minha experiência seja uma das espécies hoje em dia mais fáceis de se erradicar. Pois, para que mosquito se reproduza é necessário um criadouro com água parada, onde as fêmeas colocam seus ovos na lateral do recepiente ou cisterna. Geralmente, os ovos são colocados na borda da linha da água, quando esta atinge os ovos eles eclodem e se transformam em larvas, que são facilmente reconhecidas por qualquer pessoa que não seja experiente na área.

   A recomendação é que vendo que há larvas na água, esvazie de imediato o recipiente, pois a larva não vive fora da água. Lave seu recipente pelo menos a cada 5 dias, não remonte água, passe um escova ou buxa nas laterais do vasilhame para poder remover os ovos que ficam colados. Tampe bem seus recipientes, qualquer abertura é suficiente para a passagem do mosquito, onde ele poderá colocar seus ovos. Observe também vazilhas com água de passarinhos, gatos e cachorros.

   Pouca gente sabe que apenas a fêmea do mosquito é capaz de transmitir as três doenças acima citadas, pois somente ela se alimenta de sangue, o mosquito macho se alimenta de seiva vegetal. Logo o período chuvoso, é o período onde pode se verificar o maior aumento da população de mosquito, principalmente no semiárido que fica durante 8 meses sem chover, como não há tantas plantas verdes nessa região durante a estiagem a um decréscimo da população de mosquitos. Além do mais, outros potenciais criadouros (lixo) não são reabastecidos com a água da chuva.

   É importante lembrar para população que o mosquito Aedes aegypti se alimenta durante o luz do dia. Os principais horários de atuação são ao amanhecer do dia e ao anoitecer. Fique atento, e observe durante outros horários do dia se não há mosquito rondando suas pernas ou pés. Evite locais com vegetação, como em baixo de árvores.

Portanto, o controle e erradicação do Aedes aegypti deve envolver toda a população, que tem de permanecer em alerta, mantendo sempre limpos os seus recipientes onde é armazenado água.


ADAUTO FRANCISCO DE FIGUEIREDO
PI - PATOS DO PIAUI

Indique este Artigo enviando o Link:
http://www.crbiodigital.com.br/portal?txt=3677343432


Imagens / Fotos do Artigo 
  Mosquito Aedes aegypti. Com li ...
  Larvas do mosquito.
  Pupas e larvas do mosquito.

 retorna

 

  :: Pesquisa Artigos
contenha a palavra 
Regional 
Nome do(a) Biólogo(a) 


pesquisar



Copyright 2007  -   contatocrbiodigital@crbiodigital.com.br  -   privacidade