retorna
  :: Artigo selecionado
  Melhoramento participativo como ferramenta para agregar valor às cucurbitáceas
04/11/2014
Seleções participativas em variedades locais (VLs) de abóbora e bucha vegetal em três comunidades do Brasil.

Área(s) de Atuação que o Presente Artigo trata
Biologia
Biotecnologia e Produção
Melhoramento Genético


Maria Aldete Justiniano da Fonseca Ferreira1; Deise Sandi Souza Santos2; Eliza Maiara Nogueira de Sena2; Irlane Cristine de Souza Andrade Lira2.

1Embrapa Semiárido, Caixa Postal 23, 56302-970 Petrolina-PE; 2Bolsista PIBIC-CNPq e Embrapa, Caixa Postal 23, 56302-970 Petrolina-PE; aldete.fonseca@cpatsa.embrapa.br

 

RESUMO

O melhoramento de plantas tem seguido a linha convencional, realizado em estações experimentais, com condições controladas e uso de insumos. Esses programas, para a maioria das culturas, não atendem aos agricultores familiares que utilizam sistema diferenciado de cultivo agroecológico, em pequenas áreas e sem uso de insumos. O melhoramento participativo surgiu como uma alternativa para os agricultores familiares. Esse trabalho tem como objetivo apresentar resultados de seleções participativas em variedades locais (VLs) de abóbora e bucha vegetal em três comunidades do Brasil. Os experimentos foram desenvolvidos na Comunidade Furado da Onça, Assentamento Cunha e Comunidade Cacimba do Baltazar. As avaliações e seleções foram realizadas com ferramentas participativas. Na Comunidade Furado da Onça, os genótipos de abóbora selecionados foram 336, 6 e 2, sendo os dois últimos VLs da própria comunidade. No Assentamento Cunha, os acessos de abóbora mais votados foram: 591, 666, 86 e 453. Em relação à bucha vegetal, na Comunidade Furado da Onça, os  materiais selecionados foram 7, 263 e 466, em relação ao tamanho; 7, 263, 467 e 644  para formato e 30, 466, 569 e 644 para qualidade da fibra. No Assentamento Cunha, o acesso de bucha que mais se destacou foi o 3, com produção de dois frutos/planta, 79% de aceitação para tamanho, 71% para formato, 77% para cor da fibra e 82% para textura da fibra. Na Comunidade Cacimba do Baltazar, a VL de bucha vegetal com maior nota foi a 2, seguida pela 3, 4 e 5. A VL 4  recebeu mais votos para tamanho do fruto. Os materiais selecionados pelos agricultores podem ser usados diretamente para produção ou darem início a um programa de melhoramento participativo. No caso da bucha vegetal, a Comunidade Cacimba do Baltazar decidiu por iniciar o melhoramento da VL 4 visando a obtenção de uma nova variedade local melhorada.

 

PALAVRAS-CHAVE: Cucurbita, Luffa, agricultura familiar, pesquisa participativa


Indique este Artigo enviando o Link:
http://www.crbiodigital.com.br/portal?txt=3677333932


 retorna

 

  :: Pesquisa Artigos
contenha a palavra 
Regional 
Nome do(a) Biólogo(a) 


pesquisar



Copyright 2007  -   contatocrbiodigital@crbiodigital.com.br  -   privacidade