retorna
  :: Notícia selecionada
22/01/2018  Professores da Unifap terão vagas especiais em doutorados da UFPA

Professores da Universidade Federal do Amapá (Unifap) terão mais uma oportunidade de qualificação. Os cursos de doutorado da Universidade Federal do Pará (UFPA) disponibilizarão vagas especiais, que serão destinadas apenas a docentes da Instituição. A assinatura do termo de cooperação técnico-científica que celebrará a parceria será realizada no dia 7 de fevereiro de 2018, no campus Marco Zero do Equador, em Macapá (AP). Estarão presentes na assinatura a reitora da Unifap, Eliane Superti, a pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação, Helena Simões, e o diretor de Pós-graduação, Emerson Castilho. Pela UFPA, o reitor, Emanuel Tourinho, e a diretora de Pós-graduação, Maria Iracilda Sampaio.
   
Atualmente, a Unifap possui 636 docentes; destes, 224 são doutores, o que significa que dois terços dos professores da Instituição são graduados, especialistas e/ou mestres. "A Unifap é uma das universidades da Amazônia que ainda possui uma grande demanda de capacitação (...) e colocamos aos dirigentes da UFPA sobre a necessidade dela voltar o seu potencial de formação de nível superior para atender demandas que são da própria região. A UFPA foi sensível a esse apelo e passou a colocar vagas especiais para os professores da Unifap, ou seja, elas estão destinadas a atender a formação dos nossos docentes", explica Eliane Superti, reitora da Universidade.

O termo de cooperação técnico-científica prevê a abertura dessas vagas especiais aos professores da Unifap e, em contrapartida, a Instituição se predispõe a liberar os docentes a cursarem o doutorado na sede da UFPA, em Belém (PA). Segundo o diretor de pós-graduação da Unifap, Emerson Castilho, a ideia do acordo surgiu a partir de reuniões entre os reitores, pró-reitores de Pós-graduação e diretores de Pós-graduação das duas instituições de ensino superior que, em conjunto, definiram pela adoção de vagas especiais nos doutorados da UFPA ao invés da realização de um doutorado interinstitucional  ̶  que contemplaria apenas uma área do conhecimento.    
 
Para Emerson Castilho, a capacitação dos professores da Instituição é um passo importante para a qualificação dos cursos de graduação da Universidade. "Sabemos que há uma exigência do MEC que haja um número mínimo de mestres e doutores em sala de aula e estamos trabalhando para ampliar essa quantidade dentro da Unifap como um todo. Nossa expectativa é dobrar o número de doutores no estado em dez anos", afirma.

O diretor de Pós-graduação aponta ainda que, além da qualificação do professor, outra vantagem é questão da logística e a diminuição do tempo de afastamento do docente. "Se um professor nosso, hoje, é aprovado em um doutorado no centro-sul do país, longe da região Norte, temos que liberar integralmente esse docente para cursar os quatro anos fora do estado. Com esse termo de cooperação nós temos a possibilidade de reduzir o tempo de permanência desse docente fora da sede e, ao mesmo, facilitar o acesso desse docente aos cursos de doutorado, que não é algo simples", observa Emerson Castilho

Texto de JACQUELINE FREITAS DE ARAUJO - UNIFAP

Para mais Informações Clique em:
www.unifap.br/public/index/view/id/9678


Indique esta Notícia enviando o Link:
http://www.crbiodigital.com.br/portal?idNtc=3977393831


 retorna


 :: Pesquisa Noticias
contenha a palavra 

pesquisar
opções
avançada



Copyright 2007  -   contatocrbiodigital@crbiodigital.com.br  -   privacidade