retorna
  :: Notícia selecionada
10/02/2014  Professores sofrem dificuldades para ensinar educação ambiental em SP

Estudantes se interessam pela temática, mas professores não sabem como abordar (ENTREVISTA COMPLETA
NO SITE ABAIXO).
Com a crença de que a educação ambiental é essencial para estimular a humanidade a agir em defesa do meio ambiente, a bióloga Cláudia Ferreira dedicou dois anos (2009 e 2010) para descobrir como a questão era abordada nas escolas pública paulistas.
Para obter o título de doutora na Faculdade de Educação da USP (Universidade São Paulo), a pesquisadora frequentou salas de aula do ensino fundamental de três escolas estaduais da capital paulista, acompanhando desde reuniões de planejamento pedagógico até as aulas ofertadas aos estudantes. Além disso ela analisou o material oferecido, entrevistou pais, professores e gestores.

Todos os professores dizem que é muito importante trabalhar o tema meio ambiente. Só que na prática, eles não conseguem fazer isso"
Claudia Ferreira, bióloga
E o cenário que viu não foi nada animador: apesar do interesse de estudantes e o reconhecimento da importância do tema por parte dos professores, a questão é mal abordada nas salas de aula. Para tal constatação, motivos não faltam. Apesar de bem elaborado, o material desenvolvido para a temática é entregue sem nenhuma orientação; não há infraestrutura escolar; sem valorização e acompanhamento, os professores desmotivam-se a agir.
Confira nesta entrevista, concedida ao EcoD por telefone, o cenário que Claudia se deparou, os resultados do estudos, e o que falta para pegar de vez a política da educação ambiental no Brasil.
EcoD: Como foi que surgiu a ideia da pesquisa? Fale um pouco sobre seu estudo.
Claudia Ferreira: Meu interesse era saber como o meio ambiente estava sendo trabalhado nas escolas públicas de São Paulo. Aqui, a gente tem os materiais, com diretrizes para os professores, que é enviado pelo Mec (Ministério da Educação). Então, queria saber como é enviado esse material, como isso chega aos professores, como eles trabalham no dia a dia o tema. Fiz uma pesquisa bem ampla sobre o assunto. Fui investigar na Secretaria de Educação como eram feitos esses materiais, analisei o conteúdo e depois fui para a secretaria de ensino para saber como esse material chega lá e é enviado para as escolas.
E qual foi a conclusão que a senhora chegou?
Os materiais que analisei têm um conteúdo sobre o meio ambiente que acho importante. Eles mandam esses materiais para as escolas, mas os professores têm uma série de dificuldades para trabalhar esse tema em sala de aula. Porque eles já não têm condições de infraestrutura para poder trabalhar, eles tem baixos salários, desvalorização, não tem curso de capacitação disponível. Fora que são sobrecarregados: como ganham pouco, eles trabalham nos três turnos.
Existe uma Política Nacional do Meio Ambiente, de 81, onde dizia que a educação ambiental deveria ser oferecida em todos os níveis de ensino. Ou seja, isso é dito desde 1981. Como é que até hoje não conseguimos colocar isso em prática? Já deu tempo suficiente e até agora não conseguimos tirar as coisas do papel efetivamente. Nossa Constituição Federal, de 1988, também estabelece a educação ambiental em todos os níveis de ensino, assim como conscientização pública e preservação do meio ambiente. Essas coisas deveriam estar presentes no dia a dia da escola.

Projeto feito por estudantes de umas das escolas pesquisadas, a mais ativa. Foto: Arquivo Pessoal
E como é, na prática?
Fui nas escolas, entrevistei os professores, analisei os materiais e assisti as aulas. O que eu percebi é que todos os professores dizem que é muito importante trabalhar o tema meio ambiente. Só que na prática, eles não conseguem fazer isso. Os materiais chegam praticamente um mês após as aulas começarem. Outra coisa é que quando chegam, não há uma orientação nem preparação. Eles se sentem perdidos, não sabem o que fazer com aquilo.
As escolas também não costumam usar o meio ambiente próximo para abordar essa questão. Um exemplo é uma das escolas que tinha um jardim lindo ao redor dela, mas o tempo todo em que fiquei no local, quase seis meses, eles não foram lá nenhuma vez. Então, é complicado porque eles tem uma coisa na mão que não é útil porque eles não sabem trabalhar com isso.
Por qual motivo? Acomodação, falta de preparo?
Eles falam assim: “ahh, não tenho tempo para isso, tenho muita coisa para cumprir aqui” ou então “imagina sair com 47 pré-adolescentes de 12 anos, eles vão fazer uma bagunça!’. Dessa forma, eles partem para aquilo que é mais pragmático. Quem fica mais responsável para abordar este tema são os professores de Ciências e Geografia. O que a gente percebe nas políticas é que a Educação Ambiental deveria ser um tema gerador de muitas outras coisas. Essa questão deveria ser vista de maneira interdisciplinar.
Basicamente, o que eu vejo nos professores é a falta de condições de trabalho, os professores acabam deixando de lado essa abordagem. Tanto a Educação Ambiental quanto qualquer outro projeto depende de condições básica



Indique esta Notícia enviando o Link:
http://www.crbiodigital.com.br/portal?idNtc=3977383138


 retorna


 :: Pesquisa Noticias
contenha a palavra 

pesquisar
opções
avançada



Copyright 2007  -   contatocrbiodigital@crbiodigital.com.br  -   privacidade