retorna
  :: Notícia selecionada
23/05/2014  Primeiro crustáceo venenoso é idenficado
GILMAR SANTANA LIMA
MA - AÇAILANDIA

Pesquisadores relatam a descoberta do primeiro crustáceo venenoso, um remipedia muito parecido com este da figura abaixo, que vive em cavernas submersas no México e América Central. Não maior do que seu dedo mindinho e totalmente cego, o Speleonectes tulumensis das cavernas é uma criatura do mar, e agora o primeiro de cerca de 70.000 espécies de crustáceos de ser confirmado como venenoso.

Conforme relatado na revista Molecular Biology and Evolution, S. tulumensis implanta um coquetel químico desagradável, que inclui uma neurotoxina paralisante e enzimas que rapidamente digerem a carne transformando-a em uma pasta de fácil digestão. O S. tulumensis é parecido com uma centopéia pela sua forma corporal, mas é branco e de pernas compridas - sendo o maior crustáceo de seu grupo, os remipedes.
Conforme relatado pelos biólogos Björn Von Reumont e Ronald Jenner, ambos do Museu de História Natural de Londres, e seus colegas da Alemanha e México, especialistas em espécies venenosas, tais como aranhas, escorpiões, formigas, abelhas, e centopéias - dizem que a presença de veneno é comum em três dos quatro principais grupos de artrópodes, mas até agora crustáceos pareciam ser livres de veneno.

Choque Tóxico
Quando S. tulumensis foi descrita pela primeira vez em 1987, (o grupo remipede foi descoberto em 1979 - os biólogos sugeriram que as suas presas em forma de agulha poderiam injetar veneno. Outra pista em potencial, cientistas disseram ter visto remipedes deixando cascas de camarões mortos, presumivelmente após terem banqueteado-se com o interior. Mas ninguém sabia ao certo se eles estavam usando veneno.

Faz sentido eles possuírem veneno, pois isso evoluiu como uma estratégia de sobrevivência, diz von Reumont. Ao contrário de, digamos, um camarão mantis que usa seu tamanho e força bruta para capturar o seu alimento", remipedes são pequenos, frágeis e vivem em sistemas de cavernas subaquáticas escuras. Então, eles precisam de um bom truque eficiente para pegar e depois não perder - a presa. "O veneno é um truque fornecido pela evolução.

E não é apenas qualquer veneno. "Nosso estudo molecular revelou um veneno surpreendentemente altamente adaptado com uma composição complexa e um aparelho de entrega altamente desenvolvido", diz Von Reumont. Em outras palavras, tanto a saliva tóxica do animal e as suas partes de morder foram impressionantes.

Misteriosamente, a composição do veneno deste remipede se assemelha ao de cascavéis mais do que se assemelha ao dos artrópodes mais próximos - um grande exemplo de convergência ( quando um traço surge independentemente em animais não relacionados).

Uma descoberta surpreendente final: Sua neurotoxina é exclusivo para S. tulumensis. "É o ingrediente que domina imediatamente a presa", diz Von Reumont , o que é fundamental para manter um predador cego satisfeito em suas refeições.

Não é fácil estudar os remipedes em estado selvagem, eles residem em redes de cavernas labirínticas no México e América Central que mesmo mergulhadores experientes podem pensar duas vezes antes de entrar.

Mergulhar em cavernas para estudar crustáceos não é para todos, admite von Reumont. " É um treinamento muito duro, e você precisa estar mentalmente e fisicamente estável, e não deve ser saliente com muita facilidade", diz ele. " Ah, e você não deve ter medo do escuro ou de mergulho sem máscara e nadadeiras". Por causa do aperto em túneis da caverna, nem todo mundo pode ter o seu próprio tanque de ar: "Você respira em uma parcela de ar de seu amigo enquanto mergulha na escuridão [como um remipede!] ao longo das paredes rochosas que levam para a saída da caverna.

Parece ... insano, não?

Mas vale a pena, aparentemente. Agora Von Reumont e colegas podem dizer a seus amigos que não três, mas todos os quatro grupos de artrópodes têm membros peçonhentos. E para os biólogos, isso é uma grande notícia escondida em um pacote muito pequeno, mortal.


GILMAR SANTANA LIMA
MA - AÇAILANDIA

Indique esta Notícia enviando o Link:
http://www.crbiodigital.com.br/portal?idNtc=3377383338


 retorna


 :: Pesquisa Noticias
contenha a palavra 

pesquisar
opções
avançada



Copyright 2007  -   contatocrbiodigital@crbiodigital.com.br  -   privacidade