retorna
  :: Notícia selecionada
05/11/2019  Cepa brasileira da bactéria E.coli é menos virulenta e patogênica.
TATIANE SODRÉ FERRIN
SP - SAO PAULO

Elton Alisson | Agência FAPESP – Entre as bactérias da espécie Escherichia coli, moradoras habituais do trato digestivo humano, existe um grupo capaz de produzir uma toxina chamada Shiga que tem intrigado os microbiologistas.

Em países como Austrália, Estados Unidos, Japão e Argentina, o consumo de carne bovina infectada por cepas dessa bactéria, conhecida como STEC (sigla em inglês para E. coli produtora de toxina Shiga), tem sido associado ao desenvolvimento de uma doença grave denominada síndrome hemolítico-urêmica (SHU), que causa insuficiência dos rins e acomete, principalmente, crianças com menos de cinco anos. No Brasil, por outro lado, um determinado sorotipo de STEC já foi encontrado na carne e nas fezes de bovinos – reservatório natural dessas bactérias –, mas nunca em pacientes diagnosticados com SHU.

Continua em: http://agencia.fapesp.br/estudo-explica-por-que-bacteria-que-contamina-alimentos-causa-doenca-grave-no-exterior-e-nao-no-brasil/31831/


TATIANE SODRÉ FERRIN
SP - SAO PAULO

Indique esta Notícia enviando o Link:
http://www.crbiodigital.com.br/portal?idNtc=337731303234


 retorna


 :: Pesquisa Noticias
contenha a palavra 

pesquisar
opções
avançada



Copyright 2007  -   contatocrbiodigital@crbiodigital.com.br  -   privacidade