retorna
  :: Notícia selecionada
27/12/2017  Crise hídrica: apesar das chuvas, governo decreta emergência por 180 dias
QUEREN GOMES DAMASCENO
DF - TAGUATINGA

O governador Rodrigo Rollemberg voltou a decretar situação de emergência no Distrito Federal por causa da crise hídrica. A medida vale por 180 dias. Em texto publicado no Diário Oficial nesta segunda-feira (27/11), ele delega à Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico (Adasa) a responsabilidade de definir medidas de restrições ou de fiscalização.




Leia as últimas notícias do Distrito Federal



Saiba mais
Samambaia, Núcleo Bandeirante e outras regiões sem água nesta segunda
Samambaia, Núcleo Bandeirante e outras regiões sem água nesta segunda
Greve: metrô abre 18 das 24 estações nesta segunda-feira
Greve: metrô abre 18 das 24 estações nesta segunda-feira
Secretário de Saúde sobre febre amarela:
Secretário de Saúde sobre febre amarela: "Brasiliense pode ficar tranquilo"
Mais de 67 mil famílias do Distrito Federal vivem em extrema pobreza
Mais de 67 mil famílias do Distrito Federal vivem em extrema pobreza
Crise hídrica: volume do Descoberto tem a maior alta percentual do ano
Crise hídrica: volume do Descoberto tem a maior alta percentual do ano
Quase metade dos municípios decretou situação de emergência de 2003 a 2016
Quase metade dos municípios decretou situação de emergência de 2003 a 2016
Estrutural e Jardim Botânico terão fornecimento de água suspenso hoje
Estrutural e Jardim Botânico terão fornecimento de água suspenso hoje
Defesa Civil alerta para fortes chuvas em Vicentes Pires nesta terça
Defesa Civil alerta para fortes chuvas em Vicentes Pires nesta terça
Mais de 350 motoristas são flagrados com carteira suspensa ou cassada
Mais de 350 motoristas são flagrados com carteira suspensa ou cassada
Agefis derruba 15 obras de prédios residenciais em Vicente Pires
Agefis derruba 15 obras de prédios residenciais em Vicente Pires
Sem alvará, Justiça manda interditar igreja católica em Vicente Pires
Na prática, a situação de emergência significa que o GDF conferiu à Adasa novas atribuições, sem a necessidade de novas contratações ou trâmites no legislativo.


A agência, por exemplo, vai restringir o uso da água em parte dos afluentes do Descoberto para agricultura, indústria e lazer. Nessas áreas, que compreendem parte de Brazlândia, apenas o consumo humano será permitido.



Ao declarar emergência, o governo também fica com direito de captar mais recursos federais e fazer contratos especiais sem licitação. Ainda não se sabe, porém, se o GDF vai tomar essas medidas.



Esta é a terceira vez que o Governo de Brasília decreta emergência este ano. A primeira vez foi em 25 de janeiro. Depois, em julho, antes de a medida vencer, ela foi prorrogada, deixando de valer no último dia 18.



Governador ameniza efeitos do decreto


Em entrevista coletiva, o governador Rodrigo Rollemberg destacou que apenas "seguirá com as medidas que o GDF já vem tomando". Ele cita, por exemplo, a recuperação de nascentes que abastecem o sistema Descoberto, além da obra de Corumbá IV, em Goiás, que deve ficar pronta em 2018.



Rollemberg disse, ainda, que espera chegar à estiagem do próximo ano com níveis satisfatórios nas barragens do DF. "Esperamos que ao final desse período de chuva, com as medidas tomadas pelo governo, podemos ter esses reservatórios em níveis adequados para abastecimento", disse.



Breno Fortes/CB/D.A Press
GDF espera recuperar nascentes que abastecem o reservatório do Descoberto


Mesmo com as chuvas, reservatórios preocupam


O GDF publicou o decreto no mesmo dia em que o Inmet anunciou que o volume de chuvas no DF registrado em novembro ficou acima do esperado. Em 27 dias, choveu 255 milímetros, acima da média de 231mm.



Apenas de sábado para domingo (25 e 26/11), o nível do Descoberto subiu 0,8 ponto percentual, a maior alta em 10 meses. Na tarde de ontem, a barragem registrava 6,4% da capacidade, índice bem abaixo dos 12% previstos para o mês. No sistema Santa Maria, o volume atingiu 21,9%, quase o valor exato da cota estimada para novembro (22%).  



Apesar da melhora, há o temor de que falte água na estiagem do próximo ano. GDF e Adasa contam com volume maior de chuvas para garantir o abastecimento em todo o DF nos meses mais secos de 2018.



Na semana passada, a Adasa chegou a anunciar a ampliação do racionamento de água para dois dias caso o volume do Descoberto descesse para abaixo de 5%, mas voltou atrás. A agência espera poder captar parte do volume morto do reservatório


QUEREN GOMES DAMASCENO
DF - TAGUATINGA

Indique esta Notícia enviando o Link:
http://www.crbiodigital.com.br/portal?idNtc=3077393830


 retorna


 :: Pesquisa Noticias
contenha a palavra 

pesquisar
opções
avançada



Copyright 2007  -   contatocrbiodigital@crbiodigital.com.br  -   privacidade